A vida inusitada de um herói

 

 Uma depilação aqui, um corte de cabelo ali e até mesmo um strip -tease  são os que os super-herói fazem quando eles estão de folga. O fotógrafo indonésio Edy Hardjo foi a fundo nesse tema e resolveu utilizar miniaturas dos heróis mais famosos da atualidade num ensaio fotográfico pra lá de hilário, de acordo com o que sua imaginação acredita que eles fazem nas horas vagas. Confira:

11-2-630x57115-2-630x44510-2-630x45118-1-630x492 (1)13-1-630x47309-2-630x394

06-3-630x77201-4-630x41307-4-630x70502-4-630x74308-3-630x59005-4-630x94504-4-630x50212-2-630x80114-1-630x56103-4-630x48517-1-630x78416-1-630x956

Anúncios

Vale a pena? Papel de parede na decoração?

  Vamos falar um pouco de decoração?

Será que realmente vale a pena investir no papel de parede ao invés da tinta? É uma das dúvidas que algumas pessoas têm na hora de mudar a decoração de um ambiente. Confira algumas dicas importantes antes de investir no papel de parede em sua decoração.

1- Um não substitui o outro:

materiais-para-pintura-como-pintar-pintura

Se você pensa que para aplicar o papel de parede não precisa daquela sujeirada da massa corrida e da pintura você está enganado. Um detalhe importante para um acabamento perfeito com papel de parede é justamente ter uma boa parede, uma parede lisa e sem umidade é essencial para a sua durabilidade.

2 – Papel de parede é lindo, porém:

87519772.jpg

♦ As paredes não podem ter o mínimo de umidade, pois com a umidade o papel vai soltando e mofando;

♦ O tempo de vida dele é de aproximadamente 5 anos;

♦ Não é indicado para ambientes onde há muita incidência de luz solar intensa, o calor faz a cola reagir e se soltar, podendo amarelar o papel.

3- Custo benefício:

Apesar de ser um prática bem antiga na decoração no exterior, no Brasil a tendência se fortificou recentemente e o mercado tem ganhado força nos últimos anos. Porém, o seu custo é mais caro do que o da tintura. Em média o preço de um papel de parede simples está em torno de R$ 130,00 – R$ 400,00 um rolo com 10m, sem contar a cola para aplicação que está em torno de R$ 20,00 – R$ 30,00 a de  1kg, e a preparação da parede antes da aplicação.

4- Aplicação:

Aparentemente a aplicação do papel de parede revela ser algo fácil e rápido. E realmente é, porém, é necessário prática para a sua aplicação. Não é qualquer pessoa  que tem a habilidade para sua instalação. Para um acabamento perfeito é sempre bom a ajuda de um profissional da área, geralmente, nas lojas especializadas nos papéis sempre tem uma indicação de um profissional, pois como diz aquele ditado – “o barato às vezes sai caro”

5 – Apesar de ser caro eu vou investir:

Veja os modelos que Quase um Jornalista separou pra você:

apartamento-diptico-design-05apartamento-diptico-design-13

cv365-estilo-tendencia-01

cv365-estilo-tendencia-02cv365-estilo-tendencia-03decor-do-dia-2015-09-09-01design-londres-coleson_3design-londres-coleson_6design-londres-coleson_7design-londres-coleson_12design-londres-coleson_13design-londres-coleson_14design-londres-coleson_18design-londres-coleson_19

 

O tesão por revista de papel de volta

Como futuro Comunicólogo/Jornalista uma coisa que me intriga bastante são as capas das Revistas. Para alguns, elas podem ser sensacionalista, apelativas e que induzem o leitor a comprar o produto oferecido, no chamado – “Julgar um livro (revista) pela capa”-.  Indo na contramão dessa opinião eu acredito que as capas interferem sim e acho um ótimo recurso visual para chamar a atenção do leitor a diversos assuntos/notícias importantes para está em nossa pauta de diálogo e discussão.

Digo a respeito dos veículos sérios e que contribuem, de certa forma, para construção de uma bagagem social, política e cultural. E não de revistas de horóscopo ou de como agarrar o ‘boy” em 3 minutos.

A Revista Galileu  tem me chamado a atenção diversas vezes e feito eu refletir a cada edição.A revista que começou com o nome de Globo Ciência em agosto de 1991, quando chegou às bancas a edição número 1, traz não só matérias sobre as melhores e mais inovadoras ideias e atitudes que estão transformando o mundo, como também  propõe trazer hoje ao leitor tudo o que os campos do conhecimento humano pretendem produzir no futuro. Tudo aquilo produzido pelo homem que irá interferir em nossas vidas é apresentado na nova reformulação da revista com o slogan: “O futuro antes“.

comentário

Nesse intuito de fazer refletir selecionei algumas das capas recentes que chamaram bastante atenção assim que me deparei com elas nas bancas.

Confira:

Na edição 295 de fevereiro da GALILEU, bandido bom não é bandido morto — bom mesmo é entender por que assumir o papel do Estado e “fazer justiça com as próprias mãos” só agrava a situação do nosso país tão violento, onde quem apanha constantemente é a democracia.

12643017_10153884373896649_7219997747699553349_n
Edição 295 –  Fevereiro/2016

Na edição de janeiro da GALILEU, o tema não poderia ser outro. 2015 foi complicado em muitos âmbitos: crise política e econômica, transtornos ambientais que nos assombrarão por anos, ameaças constantes de violência e terrorismo.

10623562_10153817398831649_9191578732717316306_o.jpg
Edição 294 – Janeiro/2016

A GALILEU quis encerrá-lo com uma capa oportuna – sobre comida. Afinal, as comemorações de fim de ano fazem de dezembro o mês oficial da comilança. Só que o problema das ceias fartas é que elas simbolizam o que há de mais podre no jeito como consumimos alimentos: ele é insustentável.

12232823_10153744993466649_8269589731850775770_o.jpg
Edição 293 – Dezembr0/2015

Novembro foi o que marcou o novo projeto gráfico: a capa mais limpa e é impressa em papel especial, as seções estão mais modernas e a tipografia é emprestada dos lambe-lambes. A revista vem dentro de um pôster sobre a história da energia, e este é só o primeiro de vários pôsteres incríveis que estão por vir! Para estampar a capa desta edição tão emblemática, abordamos um assunto que ainda é tabu na sociedade brasileira – a identidade de gênero. Por que tanto preconceito e desinformação continuam rondando o tema?

A capa causou um frenesi nas redes sociais, confira clicando aqui.

12190068_10153692891231649_1129308204924743140_n
Edição 292 – Novembro/2015

 

 

Na edição de setembro, falamos sobre o racismo – e sobre como o subconsciente colabora para que ele ainda exista, (só) 125 anos após a abolição da escravatura no Brasil. Imperdível!

11953586_10153562002446649_2890988134675050739_o (1)
Edição 291 – Setembro/2015

 

Discutimos a maioridade penal na nossa capa de junho e mostramos que o dilema sobre a melhor forma de lidar com o jovem infrator tem resposta certa sim!

 

11393054_10153371524956649_1303487381049284933_n.jpg
Edição 289- Junho/2015

Confira os Posters que vem em cada edição clicando aqui.