Extremistas Judeus, celebram a morte de bebê palestino.

“A dor do assassinato de um bebê, a dor de ver meu povo escolher o caminho do terrorismo e perder sua humanidade” diz presidente Israelense Reuven Rivlin,

 

Na última quarta-feira (23/12/2015),  uma televisão local israelense  reproduziu em diversos sites e nas redes sociais um vídeo,onde um grupo de jovens aparecem dançando, segurando armas de fogo e um coquetel molotov enquanto a fotografia do menino Ali Dawabsheh é passada de mão em mão.

Ali Dawabsheh era um bebê de 18 meses queimado vivo junto com seus pais em julho na casa da família em Duma, na Cisjordânia ocupada acirrando ainda mais as tensões nos territórios do Oriente Médio.Segundo militares israelenses e testemunhas, pouco antes do amanhecer, os extremistas quebraram as janelas da casa em Duma, uma aldeia perto da cidade de Nablus, e jogaram bombas incendiárias quando a família dormia.

3e638132aa01e5fa492859377fb104f53e61cf88.jpg

As imagens, filmadas há 10 dias durante o casamento, de acordo com a imprensa israelense, de uma noiva que era uma conhecida militante de extrema-direita israelense que já havia sido interrogada como suspeita em ações de “terrorismo judeu”. Vários convidados eram amigos ou conhecidos de suspeitos detidos como parte da investigação.
O vídeo foi apreendido pela polícia no mesmo dia do casamento e enviado ao ministro israelense da Defesa, Mosheh Yaalon, que organizou uma reunião no início da semana com representantes dos colonos para exibir as imagens, indicou uma fonte do governo.

Este caso foi o estopim da atual onda de confrontos em Israel e nos Territórios Palestinos. Israel afirma que a violência persistente é motivada pela campanha palestina de incitação, enquanto palestinos se dizem que foi provocada pela frustração por quase cinco década de ocupação israelense.

“As imagens impactantes mostram a verdadeira face de um grupo que constitui um perigo para a sociedade e a segurança de Israel”, afirmou o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu em um comunicado.

“A morte a sangue frio de inocentes é desprezível, assim como o fato de celebrar um ato como este”, disse a ministra adjunta das Relações Exteriores, Tzipi Hotovely, integrante do Likud, o partido de direita de Netanyahu, conhecida por suas declarações nacionalistas e por sua oposição à criação de um Estado palestino.

mideast-israel-palest_fran
Palestino carregam o corpo de Ali, o bebê morto pelos extremistas.

 

Anúncios

2 comentários sobre “Extremistas Judeus, celebram a morte de bebê palestino.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s